A Eterna Rainha do Rock

tina03.jpg

Estava eu num momento retro esses dias, buscando no YouTube todos aqueles vídeos de músicas que a.do.ro dos anos 80 e 90, quando decido procurar por algo da maravilhosa Tina Turner. De cara encontrei o vídeo de uma das minhas músicas favoritas dela, The Best, e pasmem! Desde então já devo ter assistido umas 100 vezes, sem brincadeira. Gente, o que é essa mulher? Que energia é essa que ela emana? Pra começar, a entrada dela nesse especial Divas, já é demais. Quando a música começa, a energia é tão forte, que você se arrepia inteirinho. A caminhada dela da limousine ao palco com as lindas pernas em close é espetacular. E assim que ela começa a cantar, é impossível não acompanhá-la. Impossível. Você não consegue mais desgrudar os olhos da tela, tamanho magnetismo e carisma. Logo você percebe que está cantarolando junto, tamborilando os dedos, batendo o pezinho ou ainda remexendo os ombros. Ou então é tomado por inteiro pela música e sai rebolindo-se todo (estou falando de uma experiência bem a la Será Que Ele É, quando o personagem de Kevin Kline não se contém aos primeiros e arrebatadores acordes de I Will Survive). A energia é tão boa, que você percebe a plena satisfação do público e da banda que a acompanha. Um sorriso em cada rosto, cantando com o coração. O saxofonista mesmo, entra quase que num frenesi sexual na hora do duo com a nossa estrela. Demais! Demais! Demais!

tina-turner.jpgE não bastasse só o talento de Tina e toda essa energia, minha admiração por ela vem também de sua superação. Uma mulher que sofreu por anos com a violência doméstica e teve coragem de abrir mão de tudo, só levando o nome artístico para recomeçar, e acaba tornando-se a Rainha do Rock, merece todo o respeito e admiração possível. 

Mas deixemos de blá, blá, blá e vamos ao que interessa, porque não importa o que eu escreva aqui, você só vai entender do que estou falando mesmo, vendo essa estrela no palco.

Então, senhoras e senhores, com vocês… Tina Turner:

Uma observação: Essa apresentação é de 1999, ou seja, Tina já com 60 anos de idade (inacreditável, né?!). Andei lendo que já estão programando uma super comemoração para os seus 70 anos, em 2009. YAY!

Para quem deseja baixar as mais diversas músicas da Diva, eis um vasto material aqui. Enjoy! :mrgreen:

Anúncios

O que você acha de uma possível volta das Spice Girls?

Spice GirlsÉ a enquete que a UOL vem promovendo no seu site.

Tá, tudo bem, os rumores são imensos, mas nada de concreto.

As Spice Girls farão um anúncio sobre seus planos futuros na próxima semana, motivando especulações de que uma das girlbands mais bem-sucedidas do mundo esteja prestes a se unir outra vez para um novo álbum e uma turnê.

O grupo pop formado por cinco cantoras, que já vendeu mais de 30 milhões de álbuns e liderou paradas no mundo todo, terminou em 2001.

Você acha que as Spice Girls voltarão a se apresentar juntas?

As perguntas que não querem calar:

1) Vocês acham que elas vão mudar o figurino? (Espero que sim, olha que coisa mais brega essas roupas. Moda é moda, né?)

2) O Eddie Murphy vai cuidar da filha Iris enquanto a mãe vai fazer shows?

3) A Vitória (essa mesmo, esposa do David Beckham) vai dançar, pular e ser a posh spice ainda?

Se você tem mais ou menos a minha idade, 22 anos, um pouco mais ou um pouco menos, deve ter dançado ao som de Stop ou Wannabe. Ou então você as odiava.

Enquanto elas não voltam (para alegria que muitos e tristeza de uns, ou seria o contrário?), relembre esse clip que eu lembro de ter assistido pelo menos umas trezentas e doze vezes na MTV. Eu confesso: eu dançava na frente da T.V. (Que fique apenas entre nós isso, hein). ;c)

40 anos de Sgt. Pepper!

sgtpepper.jpgSgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band, dos Beatles, é considerado um dos melhores discos de todos os tempos e o mais influente álbum da história do rock, ao ponto de ter sido descrito certa vez por um crítico como “um momento decisivo na história da civilização Ocidental”.

Quatro décadas depois de seu lançamento, uma nova gravação do álbum, feita por músicos atuais foi produzido para comemorar a data. Oasis, Razorlight, Kaiser Chiefs, Bryan Adams, Travis e o The Magic Numbers estão entre os que participaram do projeto de uma das rádios da BBC.

Geoff Emerick – o engenheiro de som encarregado das sessões originais em 1967 – participou do projeto usando o mesmo equipamento da época. As sessões de gravação começam a ser transmitidas neste sábado pela Radio 2 da BBC. O programa, que também entrevista os grupos que participaram, tem duas partes.

Bryan Adams gravou a faixa título e afirmou que o álbum foi um dos mais “influentes” já lançados e que ele “ainda se sente atraído por estas canções”. “Aquelas canções daquele álbum são trabalhadas de uma forma bela, gravadas de uma forma bela e nunca conseguiremos chegar perto disso”, afirmou.

Razorlight gravou a música With a Little Help From My Friends e a banda The Magic Numbers gravou She’s Leaving Home. Getting Better foi regravada pelo Kaiser Chiefs. “Acredito que, pelo fato de que você tinha que trabalhar muito mais para isto, os resultados foram muito mais surpreendentes”, disse o vocalista do Kaiser Chiefs, Ricky Wilson.

 sgt_pepper1.jpg

Veja quinze fatos por trás da música dos quatro rapazes de Liverpool:

– O Sgt Pepper’s foi o oitavo álbum da banda.

– O disco foi gravado nos famosos estúdios de Abbey Road em um período de 129 dias, custando 25 mil libras (hoje, o equivalente a aproximadamente R$ 96 mil).

– O Pink Floyd estava gravando Piper at the Gates of Dawn no estúdio ao lado, ao mesmo tempo.

– Acredita-se que a idéia de fazer o disco como se Sergeant Pepper’s fosse uma banda de verdade tenha sido de Paul McCartney.

– O álbum foi feito para ser tocado de uma vez só, do começo ao fim.

– Semanas depois do lançamento do disco, Jimi Hendrix já tocava a música-título em seus shows.

– Foi o primeiro álbum de rock a ganhar o Grammy de melhor disco do ano e de melhor disco contemporâneo.

– A revista Rolling Stone colocou o Sgt Pepper’s em primeiro lugar numa lista dos 500 melhores álbuns de todos os tempos.

– O design da capa foi feito por Peter Blake: uma colorida colagem de fotografias de papelão em tamanho real de pessoas famosas, incluindo Marlon Brando e Karl Marx.

– A atriz Mae West inicialmente recusou aparecer na capa, mas mudou de idéia depois de receber uma carta dos Beatles.

– O design original foi modificado antes do lançamento do disco, com as imagens de Jesus e de Hitler sendo retiradas da foto.

– Havia rumores de que a música Lucy in the Sky with Diamonds seria uma referência à droga LSD. Lennon sempre negou isso, insistindo que a canção foi inspirada em um desenho feito por seu filho, Julian, que desenhou sua colega de escola, Lucy Vodden.

– A letra da música Being for the Benefit of Mr Kite foi adaptada quase que palavra por palavra de um antigo cartaz de circo, que John Lennon comprou numa loja de antigüidades.

– A voz de McCartney foi acelerada na canção When I’m 64 para que tivesse um som mais original.

– Com quase cinco milhões de cópias vendidas, Sgt Pepper’s foi o álbum mais vendido na Grã-Bretanha em todos os tempos (excluindo coletâneas).

fonte: BBC 

Sessão Nostalgia – Right Said Fred

We’re too sexy for these shades…

A banda de pop britânico, fundada em 1989 pelos irmãos Richard e Fred Fairbrass, tornou-se famosa mundialmente em 1991, com o lançamento do hit dançante I’m Too Sexy.

Você com certeza deve se lembrar deles. Esses dois caras musculosos são bem conhecidos por desfilar pelos clipes com calça de couro, sem camisa e sem cabelo. Relembre-os em I’m Too Sexy e Don’t Talk Just Kiss.

e

(Repare que nos dois clipes, o guitarrista usa uma guitarra com uma etiqueta de preço de 15 dólares. Hauauhauhuahau!)

Depois desses dois sucessos os caras se apagaram um pouco. Mas em 2001 eles tentaram voltar à tona com You’re My Mate, uma música bem gostosinha e com um clipe pra lá de gay que eu adorei (rimou!)!

<object width=”425″ height=”350″><param name=”movie” value=”http://www.youtube.com/v/0vmGAeM-OIo”></param><param name=”wmode” value=”transparent”></param><embed src=”http://www.youtube.com/v/0vmGAeM-OIo&#8221; type=”application/x-shockwave-flash” wmode=”transparent” width=”425″ height=”350″></embed></object>

Ué… a Xuxa passou mandando beijinhos por aqui?No site oficial dos irmãos é possível comprar a nova versão de I’m Too Sexy, que foi lançada em Abril de 2007, mas se você não quiser desembolsar para ouvir uma música que você já conhece, é só ir até o MySpace da banda e conferir de graça! =D

Sessão Nostalgia – De tudo um pouco.

Dizem que a geração anos 80/90 foi a melhor pras crianças. Foi a era dos brinquedos e o auge das músicas infantis. Todos tinham televisão e os desenhos eram criativos e divertidos sem estimular a violência. Depois da escola, dava pra ir brincar na rua e dizer pra mãe que só voltaria quando anoitecesse e isso bastava.

Nada de Grand Theft Auto, nada de Digimón e Pokemón e outros móns. Nada de PC, BBB, RDB… E as crianças não cantavam músicas que falavam de bundas, cachorras, e pessoas que estão se atolando por aí.

Um grande barato era Balão Mágico! Possivelmente o grupo que mais embalou festinhas infantis por aí, que fazia a galerinha se reunir em rodinhas e brincar da Dança da Cadeira atéééé enjoar.

Ontem me mandaram um link prum vídeo que justamente mostra muito das coisas que fizeram nossas infâncias serem as melhores! E ao som de quem? Balão Mágico (na primeira parte).

Assistam e tentem não sentir saudades:

Sessão Nostalgia – Mr. Mister

Broken Wings – Mr. Mister

 

Quem não dançou essa coladinho em alguém? 🙂

 

Mr. Mister, banda pop rock popular nos anos 80, tirou esse nome de uma bebida gelada chamada Mr. Misty feita pela Dairy Queen (empresa de sorvetes e fast-food nos EUA e Canadá).

Richard Page e Steve George, amigos de infância, fundaram a banda em 1982 e enquanto ainda trabalhavam produzindo canções para artistas como Village People, preparavam e produziam o próprio álbum.

Depois que o primeiro álbum I Wear the Face foi lançado, Richard Page foi convidado para substituir Bobby Kimball, vocalista da banda Toto e Peter Cetera da banda Chicago, mas ele recusou.

O segundo álbum foi o grande marco na carreira musical de Mr. Mister com 3 das 10 canções no topo das paradas de sucesso. Broken Wings, a mais famosa da banda, alcançou o status de n. 1 nos EUA.

No terceiro álbum, a banda se mostrou muito mais madura com um som mais rock progressivo mas, infelizmente, Go On… não chegou a fazer sucesso comercial.

Em 1989, o guitarrista Steve Farris saiu da banda e ela começou a trabalhar em seu quarto álbum mas a gravadora cancelou-o antes que fosse lançado e Mr. Mister decidiu parar. O álbum continua sem lançamento, embora uma faixa (Waiting in My Dreams) tenha aparecido numa coletânia de sucessos da banda.

Mr. Mister

Origem: Los Angeles, California, EUA
Gênero: pop rock, soft rock
Ano: 1982-1989

Membros
• Richard Page (vocalista e baixista. Compôs para artistas como Michael Jackson, Donna Summer, Kenny Loggins, Al Jarreau, entre outros)
• Steve George (teclados)
• Pat Mastelotto (bateria)
• Steve Farris (guitarra)

Discografia
1984 – I Wear the Face
1985 – Welcome to the Real World
1987 – Go On…
1989 – Pull (não lançado)

Biografia da banda no site da VH1.com

 

fonte: tradução tosca e compilada da Wikipédia